-->
bootstrap button
Logo-Festival dos Ipês

BEM-VINDOS AO
FESTIVAL DOS IPÊS

A "Cidade de Planaltina" do Distrito Federal possui um dos mais importantes ícones históricos da República Federativa do Brasil. Trata-se da Pedra Fundamental de Brasília que, se encontra localizada no Morro do Centenário e, por determinação do Presidente Epitácio da Silva Pessoa foi assentada em 07 de setembro de 1892. Esse quadrilátero também possui a maior concentração de árvores de Ipês, portanto, a cidade foi escolhida para sediar o "Festival dos Ipês", vez que reúne todas as condições físicas, logísticas e uma administração responsável, bem como profissionalmente impecável, com uma sociedade cordial e receptiva,
para a realização desse importante evento.
Convidamos você e toda sua família, para uma visita institucional em nossa cidade.

IPÊ AMARELO

Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. & Hook. f ex S. Moore) , é uma árvore não-pioneira pertencente ao gênero Tabebuia (dos ipês e pau-d'arcos). Foi descrita originalmente em 1836 como Bignonia aurea, por Silva Manso. O nome popular "paratudo" deve-se ao fato de que os pantaneiros do Brasil mascam a casca como remédio para problemas no estômago, vermes, diabetes, inflamações e febres.

IPÊ BRANCO

(Tabebuia roseoalba) é uma árvore brasileira, descrita inicialmente em 1890 como Bignonia roseo-alba. Seus nomes, tanto científico quanto popular, vêm do tupi-guarani: ipê significa "árvore de casca grossa" e tabebuia é "pau" ou "madeira que flutua". É uma árvore usada como ornamental, nativa do cerrado e pantanal brasileiros. É conhecida como planta do mel no Brasil e Argentina.

IPÊ ROSA

De crescimento bem rápido em regiões livres de geadas (em dois anos ela atinge 3,5 metros), pode atingir até 35 m. O Handroanthus impetiginosus é originário da Bacia do Paraná, conhecido também por piúva. Floresce abundantemente de Junho a Agosto, e prefere climas mais quentes, porém num Inverno seco e ameno, ela oferece também uma linda florada no começo da Primavera.

IPÊ ROXO

É uma árvore da América do Sul, conhecida pela utilização medicinal e como madeira de lei. Seus nomes populares mais conhecidos são: piúva, pau-d'arco, piúna, ipê-roxo-de-bola, ipê-una, ipê-roxo-grande, ipê-de-minas, piúna-roxa [2] Alguns autores classificam como mesma espécie Handroanthus impetiginosus e Handroanthus avellanedae, mas há discordância de botânicos brasileiros

PEDRA FUNDAMENTAL DE BRASÍLIA

O obelisco está localizada no Morro do Centenário a 1033 metros de altitude e 47º39' de longitude, a exatamente 9 km de Planaltina, onde também se localiza a Igreja de São Sebastião, que tem aproximadamente 200 anos, contrastando com a idade real da cidade mais velha do Distrito Federal, a cidade de Planaltina.

O decreto para o assentamento da pedra fundamental foi assinado pelo então Presidente da República, Epitácio Pessoa em janeiro de 1922, mas o diretor da Estrada de Ferro Goiás em Araguari (MG), Balduíno Ernesto de Almeida, somente foi informado pelo Inspetor de Estradas de Ferro, Palhano de Jesus, por telegrama em 27 de agosto. Ou seja, somente a dez dias do Centenário ele soube que teria que erguer o monumento no Retângulo Cruls, a 450 km dali, e inaugurá-lo de forma solene, exatamente ao meio-dia de 7 de setembro.

(fonte: Wikipédia)